+55 (11) 2564.7471
Auditoria - porque não trocar por AVALIAÇÂO. - Q-MAX DO BRASIL - Auditoria, Assessoria e Capacitação

Auditoria - porque não trocar por AVALIAÇÂO.

Gisberto Werninghaus  |   |  segunda-feira, 6 de junho de 2016

AUDITORIA X AVALIAÇÃO

INTRODUÇÃO

TERMOS E DEFINIÇÕES

Auditor - pessoa com competência para realizar uma auditoria; ISO 9000:15. A capacidade técnica e analítica dos auditores não serão aqui questionadas, partimos do princípio que a postura e ética delineada nas normas ISO / VDA e competência técnica / tecnológica são atendidas.

Competência - atributos pessoais demonstrados e capacidade demonstrada para aplicar conhecimento e habilidades; ISO 9000:15.

Auditoria - processo sistemático, independente e documentado para obter evidencia objetiva e avaliá-la objetivamente para determinar a extensão na qual os critérios de auditoria são atendidos; ISO 9000:15.

Origem da palavra Auditar:

no latim audire, a palavra auditoria tem como primeiro significado o ouvir, porém foi com os ingleses que teve uma utilização mais abrangente, quando esses começaram a utilizar a auditoria em sistemas contábeis, onde além de ouvir os auditores tinham como função verificar se o que estava planejado estava sendo cumprido.

Avaliação - processo sistemático, independente e documentado para obter evidencia objetiva e avaliá-la objetivamente para determinar a possibilidade de melhorias dentro do contexto técnico financeiro da oreganização.

Origem da palavra Avaliação:

no latim a + valere, que significa atribuir valor e mérito ao objeto em estudo.

  • Avaliação é um termo geral que diz respeito a um conjunto de ações voltadas para o estudo sistemático de um fenômeno, uma situação, um processo, um evento, uma pessoa, visando a emitir um juízo valorativo.
  • Ainda que avaliar implique alguma espécie de medição, a avaliação é muito mais ampla que a medição ou qualificação, ela não é um processo parcial nem linear.
  • Podemos perceber dois tipos de avaliação uma informal e outra formal ou sistemática.
  • A avaliação não pode ser entendida como um conjunto de ações que são um fim em si mesmo. Ela deve ser considerada como parte fundamental de todo o processo operacional, servindo ao desenvolvimento das capacidades dos processos.
  • Avaliação de diagnóstico: é o primeiro passo para a avaliação de um processo.
  • Os modelo de gestão e processos atualmente propostos por entidades governamentais ou privadas são baseados no ciclo PDCA com avaliação durante três anos, ou seja, a organização tem três anos para desenvolver as competências estabelecidas no plano de negócios. Sendo assim a organização terá mais chances para desenvolver os processos de forma equilibrada sem entrar em colapso. (buraco negro).

Modelos de gestão - As organizações tem a tendência de atuar dentro de dois tipos de modelos de gestão:

  1.  Diretivo: 
    • Autoridade --> Hierarquia --> Obediência
  2. Participativo: 
    • Autogestão --> Disciplina --> Autonomia

Avaliação diagnóstica - Uma avaliação diagnóstica é necessária para conhecer o atual estágio de Gestão / Processo / Produto da Organização e identificar o tipo de modelo de gestão que esta operando.

Com o conhecimento e a determinação do tipo de gestão que será mantido nos próximos anos será possível realizar uma análise das necessidades com prioridades e avaliação de risco.

Planejamento - Um planejamento detalhado será necessário para monitorar os estágios de desenvolvimento do programa (objetivos, programa, desenho do processo, avaliação). Nesta etapa devem estar planejadas as avaliações somativas e as formativas, ou seja as avaliações devem ter objetivos e metas determinadas.

Objetivo e Metas - A cada estágio do projeto será necessário determinar os objetivos, metas, riscos e replanejamentos em função das avaliações realizadas.

ANALISANDO O QUE DE FATO ACONTECE

O que mais nos chama a atenção é a forma com que as organizações tratam os resultados das auditorias.

Uma boa auditoria é: 

1. não conformidades apontadas! Algumas lideranças partem do princípio que não há processo que esteja tão bem que nenhuma não conformidade seja encontrada;

2. resultado esta preconceituado! Algumas lideranças determinam os resultados da auditoria principalmente quando auditam fornecedores;

3. impõe terror!  KPI dos resultados com base em não conformidades identificadas e ainda demonstrando / enfatizando que os auditores podem ser mais malvados quando são avaliados (auditoria de testemunho); com relatos que demonstram a média de não conformidades por auditoria;

Isto tudo demonstra que o auditor deve procurar não conformidade - sem isto não é tido como auditor capaz, daí se não acha nada inventa ou aparece como mágica.

Existem organizações onde o auditor sai com uma missão, ou seja a nota final do auditado que é pré concebida e o auditor tem que identificar não conformidades que justifiquem o resultado.

Uma boa avaliação é:

 

 

Conclusão!

Na conceituação das palavras identificamos que AVALIAR se relaciona com agregar valor, medir comparar com padrões e determinações um conjunto de ações voltadas não apenas a um espectro ou a um castigo, mas sim a um universo de ações para um juízo valorativo.

A auditoria que se pratica na maioria das organizações é uma identificação de culpados (não conformidades), estas NC’s são utilizadas para fundamentar novos controles “procedimentos” muitas vezes desnecessários para o ramo de negócio. A comparação de KPIs, também chamada de “análise” muitas vezes manipulada para demonstrar atendimento e não gerar novos culpados (NC’s que não agregam valor) gerando gastos desnecessários,  onde ficaram os objetivos que desejam alcançar a médio e longo prazos com base no plano de negócio.

As Organizações são unicas e diferentes entre si, mesmo que sejam do mesmo ramo de negócio, tendo cada processo sido implementado de acordo com seu "Modelo de Negócio".

Parindo para o modelo de AVALIAÇÂO que além de agregar valor à Gestão da Organização tem o foco no Cliente, Processo, Produto e Resultados (necessários para a perpetuação de uma Organização), tem uma visão mais abrangente dentro do ciclo de vida do produto com foco em novas tendências / tecnologias e nos modelos de negócios, afinal o mundo não é estático e os processos assim como suas necessidades são complexos e em constante mutação.

Os atuais modelos de avaliação ISO ou VDA podem ter valor agregado ou simplesmente serem certificados tudo depende dos gestores da organização e dos avaliadores / auditores, quem decide o que é melhor para sua organização é a Direção da Organização!

 

Q-MAX DO BRASIL
+55 (11) 2564-7471
Criação:
Desenvolvimento:
© 2015 Q-MAX DO BRASIL. All Rights Reserved.